Curgete

Afinal não foram as curgetes a secar…foram as meloas, contrariamente ao que aqui foi dito. Na altura achei estranho não ser ao contrário, mas todos os anos há mudanças na horta. Em minha defesa, quando as plantas são pequenas, às vezes é difícil fazer a distinção do que é o quê!

Perante estas baixas e já depois de me ter apercebido do erro, não voltei a plantar meloas no local e aproveitei os pés que sobraram do canteiro das cebolas para preencher as falhas. Estas cebolas pegaram bem e decidi não voltar a tentar plantar meloas na horta, pelo menos este ano.

Baixas à parte, as curgetes estão a crescer bem e dentro de 2/3 semanas estão prontas a colher. Como é costume, nessa altura tudo o que for cozinhado cá em casa há-de levar curgete. A isto se chama cozinha sazonal…acabei de inventar insto, mas soou bem na minha cabeça. Já agora, sabiam que é possível cozinhar a flor da curgete? Eu não sabia, mas fiquei curioso (ver aqui)! Vou experimentar e depois digo-vos algo.

Não me recordo se já disse isto, mas esta hortícola dá-se muito bem aqui no terreno. Talvez devido ao clima do oeste, ou da fauna que por aqui passeia (ou não passeia), nunca tive problemas de maior no cultivo de curgetes. Houve um ano em que, após mondar os canteiros, mexi a terra e as toupeiras decidiram passar por lá a ver se estava tudo bem, mas sem provocar grandes estragos. Quanto às colheitas, é uma planta que produz muito e à medida que vamos colhendo vão aparecendo novas flores.

E agora, porque estamos a falar de mortes…deixo-vos um bónus!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.