Trevos da sorte o tanas!

As ervas daninhas, na sua maioria trevos e junco, além de muitas, não param de crescer na horta. Até aqui tudo bem, acabei de descrever uma típica erva daninha, mas quem já teve destas pragas sabe o quão difícil é acabar com elas.

Hoje vamos falar de trevos…sim, aquelas plantas que dão folhas da sorte. Esperem? Sorte? Sorte é não as ter na horta, isso posso-vos garantir! Apesar daquele aspecto engraçado e serem fáceis de arrancar, os trevos são uma praga. Ao arrancar, basta ficarem alguns bolbos na terra e não tarda lá vêm mais trevos. Portanto, cuidado ao mondar.

Ainda em matéria de trevos, sabem as azedas? Sim, aquelas flores amarelas com um talo que as pessoas mordem. Na realidade são parte da estrutura do trevo, ou pelo menos desta espécie que tenho na horta. Fica a curiosidade. Acrescento ainda que esta espécie chama-se trevo azedo e mais detalhes podem ser vistos aqui!

Na horta, o canteiro dos almeirões foi o mais afectado e, tal como podem ver pela imagem, é fácil perceber o meu ódio a este planta. Neste caso, além de arrancar todos os trevos existentes, tive ainda o cuidado de não os deixar na terra. Tal como disse acima, é importante ter cuidado com os bolbos, por isso não deixei os trevos arrancados no canteiro.

Como é óbvio, existem produtos químicos que ajudariam no combate a esta praga. De facto. Existem mesmo. Mas também é verdade que os “Mas que ricos tomates” não seriam tão ricos e depois a minha vida de agricultor era mais facilitada…e não é isso o pretendido, para já! Sim, um dia há-de vir para a horta uma alfaia agrícola motorizada! A seu tempo voltarei a falar sobre isto.

Deixar uma resposta