…que volto a escrever com assiduidade aqui na chafarica e isto é tão certo como saber quanto tempo esta pandemia vai durar…e com isto já disse tudo o que tinha a dizer sobre o COVID.

Vírus à parte, a horta este ano já começou a ganhar forma. Aliás, arrisco-me a dizer que esta “forma” é literal, já que pela primeira vez decidi fazer parte da horta em caixas. Sim, caixas feitas de paletes e construídas aqui pelo “carpinteiro” Martins. Como poderão ver pelas imagens, além de ficar mais bonito e organizado, julgo que desta forma conseguirei controlar melhor as pragas, o solo, a rega e talvez impedir o junco que aparece todos os anos. Quanto às pragas, refiro-me a ratos e toupeiras, estando tudo separado em caixas o risco de propagação entre canteiros diminui e também dificulta a própria entrada da bicharada. Através deste método, estando o espaço de cultivo contido àquele rectângulo, consegui controlar melhor a terra usada e a mistura de fertilizante, cheguei até a usar terra que fui retirar a uma zona por cultivar há anos (sem sementes de junco) e removi tudo o que eram raízes. Por último, devo poupar mais água e consigo conter só àquele espaço.

Ao nível das plantações, seguem os número até ao momento:

  • 10 pepinos
  • 10 tomate redondo rasteiro
  • 10 tomate chucha rasteiro
  • 5 tomate coração de boi
  • 5 tomate cherry
  • 5 tomate cacho
  • 5 curgete
  • 10 couve roxa
  • 15 alface frisada
  • 10 alface lisa
  • 25 feijão verde rasteiro
  • 5 meloa Gália
  • 5 pimento Califórnia
  • 5 pimento amarelo

Por hoje já vai chegando de paleio hortícola, nos próximos artigos falarei da preparação feita no terreno

2 Comments

  1. Pingback: Estão quase no ponto! – Mas que ricos tomates

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.